Por que ser uma Cidade Digital » Novos projetos

Alagoas
Itec cria área na busca pela excelência na gestão de projetos

O Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado de Alagoas (Itec) deu um importante passo para otimizar suas práticas de gerenciamento e processos internos, melhorando seus serviços. A criação de um Escritório de Projetos, previsto para entrar em operação a partir de janeiro de 2013, é a atual prioridade do órgão.

Serão adotadas as diretrizes estabelecidas pelo Project Management Institute (PMI).


 
Viçosa do Ceará
Viçosa do Ceará investe para ser digital

Localizada no noroeste cearense, a cerca de 350 quilômetros da capital, Viçosa do Ceará experimenta os benefícios das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) para a administração pública, a começar pela interligação de todas as secretarias. Além de investir para ampliar a sua infraestrutura, por meio do Viçosa Digital, a gestão municipal aposta na inclusão digital da população.

 
Vitória da Conquista / BA
Vitória da Conquista quer integrar estrutura administrativa e promover inclusão digital

Melhorar a gestão pública, elevar o nível dos serviços prestados aos cidadãos e promover o acesso à internet de qualidade. Estes são os principais objetivos de Vitória da Conquista para o seu projeto de Cidade Digital. Apostando na tecnologia wireless, a prefeitura planeja levar esses avanços a todo o município, o terceiro maior da Bahia em número de habitantes.

 
Novo Hamburgo / RS
Projeto MundiNHO: o aprendizado a um clique de distância

Um computador portátil para cada aluno. Esta é a síntese do MundiNHO, projeto piloto da  Prefeitura de Novo Hamburgo (RS), idealizado a partir da experiência brasileira  “Um Computador por Aluno (UCA)”, o primeiro programa com o objetivo de destinar um laptop a cada estudante nas salas de aula do país. No município gaúcho, participam duas escolas e até o final de 2012 mais dez serão incluídas na iniciativa.

 
São Paulo / SP
Site mapeia obras públicas em São Paulo

Em época de eleição, políticos aumentam suas promessas de investimento em todas as cidades. Há quem fale em reforma de praças, outros de escolas e mais alguns propõem postos de saúde. O pleito passa, vereadores são eleitos e os discursos se transformam em frases e números no orçamento municipal, difíceis de serem acompanhados pelo cidadão comum. Um projeto do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação da Universidade de São Paulo (Gpopai-USP) está tentando minimizar esse problema por meio de uma plataforma de geolocalização de aplicação de gastos públicos fácil de visualizar e interagir. O recém-lançado “Cuidando do Meu Bairro” monitora as propostas orçamentárias por intermédio do Google Maps, localizando-as e apontando quanto foi idealizado para a obra, o montante já empenhado e executado.

 
« <   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   [13]   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   > »

«Voltar



Apoio: