Mercado » Setor Público

Programa perde força, mas especialistas acreditam que deve ser mantido
Telecentros em busca de sobrevida

Pesquisas sobre telecentros costumam chegar a resultados semelhantes: esses espaços de inclusão digital funcionam como lugar de encontro, de organização comunitária e de produção de orgulho e identidades. Isto tudo com o atrativo da oferta gratuita de internet a comunidades de baixa renda. Transformados em política pública no Brasil no início da década de 2000, os telecentros foram a principal vitrine dos projetos de inclusão digital por anos, mas agora podem estar perdendo sua força, diante da maior oferta de serviços de acesso à internet e da criação de outros programas governamentais, como os relacionados à formação de Cidades Digitais. Especialistas, porém, acreditam que os telecentros ainda são necessários na realidade dos serviços de telecomunicações brasileiros. Afinal, em muitos locais, principalmente no interior, o mercado é pouco atrativo para as empresas, que ofertam serviços caros e instáveis.

 
Saúde e educação
RNP inclui novas instituições em redes de alta velocidade

Mais quatro hospitais, dois em Manaus, um em Belo Horizonte e outro no Rio de Janeiro, passaram a passaram a integrar a Rede Universitária de Telemedicina (Rute), que faz a interligação com centros de excelência. Na área educacional, mais seis campi de institutos federais e de universidades, em vários estados, compõem agora a rede Ipê, que visa conectar em alta velocidade todas as instituições universitárias federais do interior do país até 2014. 

 
Prêmio da Inteligent Community Forum
Rio está entre as 21 cidades mais inteligentes do mundo

O Rio de Janeiro foi escolhido, pelo segundo ano consecutivo, como uma das "21 Comunidades Mais Inteligentes do Mundo" e será a única cidade da América Latina a concorrer ao "TOP 7", em janeiro, quando serão escolhidas as sete finalistas ao prêmio da Inteligent Community Forum (ICF), entidade internacional responsável pelo levantamento. O anúncio da cidade campeã será feito em junho de 2014.

 
Critérios
Serpro normatiza licenciamento de software livre

O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) publicou uma norma interna que estabelece critérios para licenciar produtos desenvolvidos pela empresa como software livre. O documento também categoriza as modalidades de licenciamento livre e modelo de uso. A norma foi construída de forma colaborativa entre os comitês regionais que integram o Programa Serpro de Software Livre. 

 
Aprendizado
Governo de Minas leva cursos de TI para professores

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV) lançam o programa ‘professorpontocom’, ofertado por meio do programa Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec). O primeiro curso, Ambiente Virtual de Aprendizado, permitirá que os participantes se familiarizem com os conceitos mais básicos da informática.

 
« <   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   [31]   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150   151   152   153   154   155   156   157   158   159   160   161   162   163   164   165   166   167   168   169   170   171   172   173   174   175   > »

«Voltar



Apoio: