Como construir uma Cidade Digital » Tecnologias


A hora e a vez de o Brasil investir mais em cidades conectadas

As infraestruturas 3G e 4G serão a base dos negócios voltados para Internet das Coisas no Brasil, diz Francisco Giacomini, diretor da Assuntos Governamentais da Qualcomm do Brasil. O 5G é visto como um oportunidade para a próxima década. "Não há padronização. Falta consenso ainda. O 5G vai oferecer suporte à uma infraestrutura crítica, com qualidade e confiabilidade. Mas ainda é uma projeção", salienta o executivo.

 

Campanha nacional quer 10 Mega de Internet em todas as escolas até 2016

Uma campanha, idealizada pela Fundação Lemann e pelo Instituto Inspirare, em parceria com o Instituto de Tecnologia & Sociedade (ITS), batizada de rede de mobilização Nossas Cidades, quer disponibilizar 10 Mega de Internet em todas as escolas até 2016. De acordo com os idealizadores, mais que infraestrutura, é necessário que haja uma velocidade mínima para que a rede possa ser usada por todos os alunos no processo de aprendizagem.


 
Eficiência energética
Inovações aceleram resultados de investimentos em iluminação eficiente

A redução de preços de lâmpadas LEDs e sistemas de automação; e a simplificação do uso de fotogeração, com a regulação da Aneel; junto a uma estratégia municipal de qualidade de serviço e sustentabilidade, já permitem que as prefeituras respondam à atenção da população à eficiência energética. Diminuir as despesas com energia e manutenção é apenas parte dos resultados.

 
Parceria com a Poli-USP
USP será laboratório de cidades digitais

A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e a Telefônica Vivo acabam de firmar um acordo de cooperação técnica para, a partir do início do ano, desenvolver soluções de serviços públicos e gestão urbana. “Ter como testar as funcionalidades das novas tecnologias nos dá condições de chegar ao mercado, que são as prefeituras, com propostas mais maduras” resume Sílvio Antunes, diretor de Desenvolvimento de Negócios da operadora. “Cada município tem sua prioridade e não existe solução de prateleira para Cidades Inteligentes. O objetivo (da parceria com a USP) é explorar ao extremo as alternativas tecnológicas, para quando chegarmos ao administrador público termos várias possibilidades já testadas na USP”, esclarece. A população da USP é de cerca de 100 mil estudantes, 6 mil professores e 17 mil funcionários, em 11 campi. Os projetos começam a ser implementados no início do ano e uma das primeiras áreas de pesquisa é em sistemas inteligentes de iluminação pública.

 
Informações contextualizadas
BinárioMobile: aplicações de beacons em serviços públicos

Os beacons – pequenos transmissores sem fio – podem ser muito úteis para o envio de informações a aplicativos de celulares sob um raio de cobertura restrito, por meio da conexão BLE (bluetooth de baixa energia). Por localizar o usuário de forma muito precisa, pode-se prover informações muito contextualizadas, como orientações em terminais de transporte. Segundo a empresa BinárioMobile, há várias aplicações em serviços públicos.

 
[1]   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   > »

«Voltar



Apoio: