Como construir uma Cidade Digital » Gestão


Os usos de SMS nos governos brasileiros

Já existem governos brasileiros atentos às inúmeras possibilidades do uso de SMS e de outras ferramentas de m-gov para serviços públicos. O Estado de São Paulo, o município de Embu das Artes (SP), a área educacional do Estado do Rio de Janeiro, alguns serviços dos órgãos estaduais paranaenses e as consultas ao Detran piauiense são alguns exemplos. Talvez um dia chegue aqui uma prática adotada em Madri, capital da Espanha: o usuário envia SMS para um número específico indicando qual linha pretende usar e em qual ponto e, 20 segundos depois, recebe o aviso de quanto tempo o ônibus demorará para chegar.

 

Parceria entre universidades e municípios traz propostas inovadoras

Em se tratando de ciência e tecnologia, universidade e administração pública municipal têm muito a compartilhar. Esse intercâmbio de experiências é tido como proveitoso por ambas as partes. Quando instituições de ensino superior e prefeituras se unem, as iniciativas de Cidade Digital podem se multiplicar e contemplar a população com idéias inovadoras.

 

Crise não deverá frear investimentos em projetos de Cidades Digitais

A expansão da banda larga é inevitável, e a transmissão de dados é um caminho sem volta também para os órgãos públicos. A crise que vem trepidando bolsas e agitando governos pode até reduzir um pouco o ritmo de investimentos. Mas está longe de frear completamente os processos de instalação e implementação de redes de transmissão de dados, de banda larga para dar suporte serviços públicos e, em última instância, de Cidades Digitais. Esta, pelo menos, é a opinião de especialistas do setor e representantes do governo. Alguns lembram que as tecnologias de informação e comunicação hoje são fundamentais em muitos municípios, outros argumentam que elas constituem uma ferramenta de produtividade para a própria prefeitura, ajudando inclusive a reduzir custos.

 

Softwares de gestão aumentam eficiência de telecentros

Os locais que combinam acesso à internet e capacitação para uso de informática e navegação na web, conhecidos como telecentros, infocentros ou outros nomes, são cada vez mais centrais nos programas de inclusão digital. E, por isso, demandam instrumentos de gestão, fazendo proliferar os softwares de gerência de telecentros. Há opções desenvolvidas por empresas e pelos próprios projetos governamentais que os coordenam.

 

Especialista diz que não há uma receita certa

Jon Peha, professor da Carnegie Mellon University, um dos maiores especialistas norte-americanos em redes digitais sem fio, afirmou em entrevista exclusiva ao Guia das Cidades Digitais que não há uma receita certa para a construção de Cidades Digitais, pois há muitas variáveis, mas que é preciso saber para que servirá a rede. Segundo ele, muitos projetos falham justamente porque aqueles que os definem não têm uma idéia clara do que estão tentando alcançar.

 
« <   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   [12]   13   14   15   > »

«Voltar



Apoio: