Como construir uma Cidade Digital » Gestão


Ferramenta dá autonomia a secretários e prefeitos

Criado há quase dez anos, o software Gestor Público pode ser definido como uma ferramenta de inteligência de negócios para prefeituras. O programa captura, dentro dos sistemas da própria prefeitura, as informações necessárias para gerar algum tipo de relatório ou alerta e o envia ou apresenta da forma escolhida pelo usuário. Pode gerar alertas e avisos via SMS ou email e é totalmente configurável.

 

Paraná vai integrar unidades de saúde pública

Funcionando em fase de testes desde setembro de 2008 em um hospital paranaense, o sistema Gestão de Assistência da Saúde do SUS (GSUS) será adoado em todas as unidades estaduais ao longo de 2009. A ferramenta sistematiza o fluxo da assistência de saúde pública de forma integrada, melhorando a regulação do setor e otimizando a rotina nas unidades. É um software livre e poderá ser adotado por municípios e prestadores de serviços interessados.

 

Proibir ou não proibir: eis a questão

Acesso a vídeos, upload de fotos e bate-papos são atividades corriqueiras nos telecentros atualmente. Na esteira, há quem defenda proibições de atividades que consumam muita banda de internet, restringindo o funcionamento desses locais a atividades de e-governo, email, pesquisas escolares e outras. E há os partidários de que população se aproprie dos telecentros da maneira que mais lhe for adequada. Afinal, as duas coisas se chocam e são contraditórias? Ou é natural que um tipo de uso mais voltado ao entretenimento tome lugar nos telecentros?

 

Professor sugere a municípios adotar programa de formação para ir além dos computadores

O professor Alberto Tornaghi, da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Colégio Santo Inácio, afirma que educação e tecnologia devem ser pensadas em uma relação de interdependência. Para ele, a iniciativa de instalação de laboratórios de informática em todas as escolas públicas do País até 2010 deve ser seguida, pelos municípios, da adesão ao ProInfo Integrado, para “habilitar as escolas a trabalhar [com os computadores] começando do ponto mais básico, num crescendo paulatino de forma que os educadores incorporem à sua prática profissional os recursos de que passarão a dispor”. Ele considera que, mais do que aparelhar as escolas, o programa prevê uma nova forma de ensinar e aprender: ensinar e aprender em rede.

 

Telemedicina facilita pré-natal em Porto Alegre

Uma das pioneiras em projetos de Cidade Digital no Brasil, Porto Alegre (RS) vem assumindo a ponta também na área de telemedicina, com a realização de ultra-sonografias obstétricas em tempo real, em postos de saúde onde não há obstetras de plantão. A primeira iniciativa foi inaugurada no bairro da Restinga. De lá pra cá, mais duas unidades passaram a realizar o procedimento.

 
« <   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   [11]   12   13   14   15   > »

«Voltar



Apoio: