Por que ser uma Cidade Digital » Experiências de sucesso » Informatização dá base a novos serviços no sistema de saúde

Informatização dá base a novos serviços no sistema de saúde

Prontuário eletrônico, portal para consultas de atestados médicos, gestão de produtividade e extensões para o atendimento domiciliar são alguns dos desdobramentos da informatização de 100% das 21 unidades de atenção básica em Novo Hamburgo (RS). “Com a rede pronta e acessível a todos os profissionais de saúde, fica mais fácil criar melhorias. O projeto das unidades de atendimento é a porta de entrada para endereçar novas demandas”, explica Tatiane Soares de Souza, diretora de sistemas de saúde e governo eletrônico da Secretaria de TI de Novo Hamburgo. Ela é uma das palestrantes do painel Serviços Digitais ao Cidadão, na Rio Smart Cities.

Com uma população em torno de 260 mil habitantes, Novo Hamburgo conta com 21 unidades de atendimento médico básico, que compõem uma rede de cerca de 400 computadores, conectados ao data center na prefeitura. Em 2011, o município contratou um sistema integrado, que centraliza os prontuários dos pacientes, além de informações sobre todos os procedimentos, clínicos ou administrativos, executados em qualquer unidade. Neste momento, a Secretaria de Saúde conduz um piloto, com médicos de 15 unidades, de uso de tablets, para estender o sistema ao atendimento domiciliar. “A partir do momento em que identifica o cidadão, o profissional vê quais medicamentos já tomou, os exames já feitos, a conduta anterior dos colegas e os problemas já apresentados pelo paciente”, descreve a diretora de sistemas.

Melhor uso do Cartão SUS

Uma premissa para o atendimento unificado ao cidadão foi trabalhar a base de portadores do Cartão SUS. A prefeitura chegou a criar, em 2012, uma central dedicada a essa atividade. “Muitas vezes o cidadão se deslocava, esquecia o Cartão e acabava tirando outro. Por isso, trabalhamos para eliminar múltiplos registros do mesmo usuário (o que compromete a continuidade do atendimento)”, conta Tatiane de Souza.

Do ponto de vista fiscal, a identificação pelo Cartão SUS permite a recuperação de recursos com o atendimento a pacientes que migram dos serviços de convênios privados ao sistema público. “Das 21 unidades, 17 estão em prédios novos, com instalações de qualidade”, menciona a diretora.

Atualmente, o sistema de Novo Hamburgo faz uma sincronização com as bases de dados do Ministério da Saúde por meio de envio de arquivos. Tatiane de Souza adianta que o município já manifestou disposição e está pronto a trabalhar junto ao Datasus para aperfeiçoar a integração de sistemas, por meio de web services.

Funcionalidades para gestores e munícipes

A especialista em governo eletrônico conta que a massa de dados tem permitido responder melhor às demandas de informação dos gestores. “Incluímos ferramentas que permitem identificar os gargalos, ver os estoques de medicamentos e verificar o equilíbrio entre as necessidades da população e os recursos em cada unidade”, descreve.

Entre as funcionalidades propostas pela sociedade, o Portal da Saúde do município inclui uma área para consulta a atestados médicos. A ideia surgiu entre os pequenos e médios empregadores, que perdiam muito tempo confirmando o motivo da ausência de funcionários. Evidentemente, a disponibilidade da informação em um local seguro e confiável também reduz o estresse entre os funcionários das unidades, uma vez que o extravio ou roubo de carimbos ou blocos passa a ser praticamente inútil.

Data: 06 de maio de 2014
Autor: Vanderlei Campos

«Voltar



Apoio: