Especial VoIP » Exemplos criativos do Sul ao Nordeste

Exemplos criativos do Sul ao Nordeste

Da cearense Tauá à gaúcha Porto Alegre, muitos são os exemplos de uso de telefonia VoIP na administração pública. Com abrangências e objetivos diferentes, os projetos têm, porém, uma característica comum: a economia nas contas telefônicas.

Em Tauá, a aplicação de VoIP é uma das mais curiosas: a cidade de quase 55 mil habitantes vem implementando bodefones − telefones públicos que realizam chamadas através da tecnologia de voz sob IP. O nome vem da decoração dos "orelhões", pintados com a figura do bode, em homenagem à principal atividade econômica da região, a caprinocultura.

Os bodefones atendem diretamente ao público em geral, gerando economia direta para o cidadão. Atualmente são dois, mas já houve quatro operantes durante um determinado tempo. A intenção é instalar mais 20 na cidade, além de implantar uma rede VoIP com 30 ramais nos prédios da prefeitura. O plano inicial previa que, em final de março, a expansão dos bodefones já estaria completa, porém questões burocráticas continuam impedindo que os orelhões diferenciados invadam o município.

Segundo José Wilton Martins, assessor de comunicação da prefeitura de Tauá, é preciso liberar mais banda internet (passando dos atuais 2 Mbps para um total de 5 Mbps). "Toda a estrutura física de cabos já foi providenciada, só falta a simples liberação junto à companhia telefônica”, diz. Quando tudo estiver implantado, calcula-se que o potencial de economia é de 70% nos custos telefônicos, segundo estudo da prefeitura e das duas empresas responsáveis pelo sistema VoIP, a Converge TI e a Redemobi.

Modos diferentes de implementar e usar

Economia significativa também obteve a cidade de Tarumã, no interior paulista, a 412 quilômetros da capital. Há quatro anos foi montada a rede VoIP, que interliga 30 ramais em todos os órgãos municipais. Há pelo menos uma linha VoIP instalada em cada prédio da estrutura pública da municipalidade. Segundo o prefeito informou em março ao Guia das Cidades Digitais, isso já possibilitou a desativação de 10 linhas telefônicas convencionais. A intenção é continuar este processo e desativar todas as 35 ainda existentes.

A cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, instalou em março deste ano seu projeto inicial de VoIP. Em vez de implementar ramais IP de uma vez nos órgãos da administração direta, fez uma opção diferente: inicialmente, transformou a central de atendimento do serviço 156, o Serviço de Atendimento ao Cidadão ligado à Secretaria de Comunicação e Qualidade, em um call center IP.

"A estrutura da telefonia analógica do serviço será toda desativada, melhorando a qualidade da rede, com diminuição de cabos e manutenções", adianta Glicério Ruas, da Microhard, empresa que fez a instalação em Juiz de Fora. "Confirmando a funcionalidade e facilidade de uso, o serviço deverá ser estendido para toda a prefeitura", diz. Quando esta segunda etapa estiver em funcionamento, a economia esperada nos gastos públicos de telefonia é de R$ 480 mil por ano.

No futuro, pretende-se ainda disponibilizar uma porta de entrada via internet, pela qual os cidadãos que tiverem os recursos de multimídia em seus computadores poderão se comunicar online e gratuitamente com a central 156.

As vantagens da VoIP também são percebidas por órgãos ligados à administração federal. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) utiliza a tecnologia desde fevereiro de 2002, para a comunicação interna. Além da sede, em Brasília, todos os 11 escritórios regionais da agência (espalhados por diferentes Estados) estão ligados à mesma rede privada de VoIP.

Só no ano de 2006, a tecnologia propiciou uma economia de cerca de R$ 280 mil com ligações de longa distância. Segundo a assessoria de comunicação da Anatel, há um projeto em curso para a extensão dessa cobertura a toda a rede corporativa da agência, o que incluirá também as 16 unidades operacionais, instaladas em 16 estados.

Mas talvez o exemplo mais significativo de uso de VoIP seja o de Porto Alegre. A capital gaúcha integra uma série de tecnologias, entre elas a VoIP, para obter um sistema inteligente de telefonia. "Nosso projeto de telefonia não é só VoIP. Temos uma estrutura centralizada para todos os prédios da administração municipal, com bastante rede de fibra. Essa é a diferença", ressalta André Kulczynski, presidente da Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa), a empresa municipal de informática que coordena o projeto.

Os PABX espalhados por secretarias e demais órgãos não mais obtêm linha da operadora isoladamente. Quando o telefone é tirado do gancho, a central telefônica integrada é que escolhe a melhor tarifa e operadora para aquela hora do dia e local. "O mundo 'enxerga' ligações saindo só da Procempa. Somos nossa própria operadora", explica Kulczynski. A economia proporcionada por este sistema já está na casa dos R$ 7 milhões ao ano.

São 7 mil ramais administrados; 280 são VoIP. Como a grande dificuldade é fazer a telefonia integrada chegar à periferia − e, conseqüentemente, às muitas escolas lá localizadas −, é neste ponto que os ramais VoIP mais são utilizados. "Lá não tem PABX, tem alguns troncos telefônicos. Mas temos a nossa rede de banda larga, através da fibra ótica. Por isso, utilizamos a voz sobre IP", esclarece o presidente da Procempa. Os ramais VoIP falam com todos os demais ramais da prefeitura de graça.

Por administrar um volume grande de ligações mensais, a Procempa consegue barganhar com as diferentes operadoras telefônicas tarifas mais baixas. Em um contexto no qual 55% das 80 mil ligações que partem do PABX centralizado diariamente são para celulares, a Procempa conseguiu fazer a tarifa para este tipo de ligação cair de R$ 0,65 por minuto para R$ 0,12.

Em fase de planejamento

Dentre as iniciativas de redes privadas de VoIP em fase de planejamento, estão Blumenau (SC) e Salvador (BA). A cidade catarinense pretende concretizar sua iniciativa somente no ano que vem, em função dos investimentos requeridos e a necessidade de sua inclusão na previsão orçamentária.

"Teremos que fazer investimentos em central telefônica, e isso só será viável no ano que vem", informa Miguel Carvalho, diretor de Infra-Estrutura Tecnológica da Secretaria Municipal de Orçamento e Gestão. A futura utilização de VoIP, reduzirá, de acordo com os estudos, aproximadamente 40% dos gastos atuais de telefonia na cidade.

A capital baiana, por sua vez, pretende ter sua rede de telefonia VoIP operando no segundo semestre de 2008, quando o anel de fibra ótica municipal estiver plenamente em funcionamento. Ainda não foi estimada a futura economia nas contas telefônicas, mas já se sabe que, no mínimo, 28 órgãos da administração direta terão ramais VoIP, através da fibra ótica. Além deles, outros poderão utilizar através da conexão via rádio que chegará aos diferentes bairros de Salvador.


Outras matérias do Especial VoIP:

Data: 12 de junho de 2008
Autor: Maria Eduarda Mattar

«Voltar



Apoio: