Especial VoIP » Benefício pode ir além da economia

Benefício pode ir além da economia

A multinacional de consultoria e pesquisa em tecnologia IDC publicou, recentemente, um estudo sobre o uso de VoIP domiciliar. A previsão é que, em 2012, o gasto anual com serviços VoIP (em casa ou em aparelhos móveis) será de U$ 5 bilhões. O relatório, chamado "Serviços de comunicação pessoal por IP - Previsões 2008-2012: Um novo tipo de serviço de telefonia", define: a comunicação IP será o futuro das comunicações em tempo real entre indivíduos.

A pesquisadora Rebecca Swensen é co-autora do estudo e especialista no tema. Ela aponta a falta de informações e pesquisas sobre o uso de VoIP na administração pública e indica que isso se deve à tendência de governos, geralmente, serem lentos na implementação de novas tecnologias.

Mesmo assim, alguns exemplos já surgiram. "Temos visto um número crescente de aplicações da tecnologia VoIP nas municipalidades norte-americanas e em iniciativas educacionais", disse ela com exclusividade ao Guia das Cidades Digitais.

Mais do que redução de custos

Segundo a pesquisadora, a principal razão para governos implementarem iniciativas de VoIP costuma ser o custo. "No entanto, há áreas em que o VoIP é visto como mais do que redutor de gastos", defende. "Há distritos escolares que implementaram VoIP para ter um sistema de emergência plenamente integrado", cita, referindo-se a algumas iniciativas realizadas nos Estados Unidos.

"Levar a telefonia IP para os dispositivos de ponta permite que os usuários a apliquem para mais do que chamadas de voz. Por exemplo, professores podem avisar às autoridades e aos dirigentes escolares que há um incidente em suas salas de aula simplesmente apertando um botão", exemplifica.

Enquanto ressalta a vagareza dos governos na adoção das inovações tecnológicas, ela destaca que há diversas aplicações, aparelhos e novidades desenvolvidas para usuários domiciliares e corporativos que podem ser aproveitados por municípios e Estados. "Há uma série de aplicações que podem ser transportadas facilmente para a comunicação entre as municipalidades e seus habitantes", frisa.

Em serviços de atendimento ao cidadão, ela lembra que as comunicações IP podem ajudar a obter informações sobre quem está ligando ou até para transmitir dados ao interlocutor, "tornando a conversa mais valiosa", diz. A opção de o cidadão ligar para a central de atendimento da prefeitura ao clicar em um botão no site do órgão é uma das muitas facilidades existentes, segundo a consultora.

"Há inúmeros e diferentes modos de as cidades grandes e pequenas tirarem proveito das comunicações IP, muito além da simples redução de custo", completa a pesquisadora, que informa ainda não ter previsões de quanto serão os gastos governamentais com VoIP em 2012, ano citado como base das estimativas de sua pesquisa. Mais uma prova de como o campo ainda é novo e cheio de possibilidades a serem exploradas − e estudadas.


Outras matérias do Especial VoIP:

Data: 12 de junho de 2008
Autor: Maria Eduarda Mattar

«Voltar



Apoio: